Refinanciamento de imóveis

  Ads  

Com a Selic nesse ano de 9,25% ao ano e provavelmente terá um aumento nos meses seguintes, agora é a hora mais oportuna para obter um empréstimo, nesse caso não exige qual a finalidade para ser usado esse recurso.

Uma prática ainda pouco conhecida no Brasil é o refinanciamento imobiliário, onde você pega seu próprio imóvel como garantia para conseguir um empréstimo.

  Ads  

Se a taxa de reembolso de um imóvel for superior a 70%, pode pedir emprestado até 60% do seu valor. Por ter segurança patrimonial, as taxas de juros são menores em relação ao cheque especial ou até mesmo cartões de crédito, com prazos de até 20 anos. Para receber crédito, você será avaliado usando seus dados pessoais.

Como funciona o refinanciamento imobiliário?

O refinanciamento imobiliário aplica-se quando o proprietário é proprietário do imóvel e serve de garantia para pagamentos de empréstimos ao banco, sendo válido também para imóveis que não foram integralmente quitados. Até que você pague integralmente o financiamento, o imóvel será vendido ao banco e você poderá morar no imóvel.

Para obter esse crédito, você não precisa justificar seu uso, você pode usá-lo para reformas, festas de casamento, cirurgias, trocas, aquisições, quitação de dívidas e muito mais. Esta é uma ótima opção para obter crédito.

  Ads  

A alienação fiduciária de um imóvel é uma garantia contratual do proprietário para transferir temporariamente sua propriedade para uma instituição financeira. Hoje, é o método mais utilizado no Brasil, tanto na aquisição de novos imóveis quanto no refinanciamento.

2021: um bom momento para refinanciar o imóvel?

A taxa Selic está em 10,75% e, com a volatilidade da economia, nos próximos meses essa taxa poderá ter um aumento, é importante ter conhecimento sobre esse detalhe, para as pessoas que pensam em fazer o refinanciamento do imóvel.

“Para você que precisa de crédito, o melhor é solicitar o quanto antes. Esperar o melhor momento, no curto ou médio prazo, não vai adiantar muito, porque as pessoas podem pagar uma taxa ainda mais alta”, alerta a especialista. “2022 é ano de eleição. É provável que tudo aumente, a Selic deve ficar mais caro para controlar a inflação”, diz Bruna.

Refinanciamento de imóvel para Inadimplentes. É possível?

“Mesmo que você esteja inadimplente, pode ter aprovação do banco usando seu imóvel como garantia, se não tiver outro financiamento em aberto.” O lado negativo é que os juros cobrados mudam, já que o banco entende que corre mais risco.

  Ads  

Para as pessoas que possuem outros investimentos e não pretende usar o imóvel próprio como garantia, existem alguns bancos que costuma aprovar o empréstimo usando investimentos como garantia, uma alternativa também com juros mais baixo. Ou seja, quanto mais garantia você oferece para o banco, melhores condições de pagamento ele poderá aprovar. Para Bruna, às vezes é válido, porque no caso do investimento, não estará se desfazendo da casa própria.

E também, se por acaso houver alguma parcela que você não pode pagar, poderá recorrer ao dinheiro para pagar o financiamento ou empréstimo bancário.

Ela lembra também que, antes de pedir o empréstimo ao banco, é importante saber da sua necessidade real. Os momentos mais difíceis em nossa saúde financeira são os mais frágeis para manter uma serenidade e gerenciar corretamente o dinheiro.

Outra dica importante é reservar 20% do valor do empréstimo, se por acaso alguma eventualidade aconteça. É melhor essa reserva estar segura e ser usada apenas nos momentos de urgência. O ideal é guardar a reserva em uma poupança ou mesmo rendendo em investimentos melhores e mais flexíveis.

  Ads  
cdd
cdd